Um carro pode ficar parado por meses?

Da redação

 

Perguntamos ao analista técnico do CESVI, Gerson Burin, o que pode acontecer a um automóvel parado na garagem durante meses, dúvida que acomete a muitos internautas que nos escrevem semanalmente. Segundo ele, o ideal seria que ao menos uma vez na semana alguém ligasse o veículo por, pelo menos quinze minutos, o que evitaria os seguintes problemas:

Bateria - Poderá apresentar variação em sua carga, podendo chegar ao ponto de impossibilitar a partida do veículo após este período de 4 meses;

Pneus - Pressão de pneus sofrerão alterações;

Combustíve l- Perda das propriedades do combustível, perdendo parte de sua eficiência;

Óleo lubrificante - Poderá sofrer escoamento total para o cárter, ocasionando em alguns casos o descarregamento de tuchos hidráulicos , e mancais, comprometendo a vida útil do motor no momento da nova partida;

Pintura - Se estiver em ambiente externo , poderá sofrer danos em decorrência de depósito de fuligens externas, ou utilização de capas impróprias, que formam câmeras de umidade, causando assim danos ao verniz do veículo;

Discos de Freio – a oxidação nos discos de freio podendo apresentar uma pequena deficiência momentânea nas primeiras frenagens em primeiro momento. Mas caso seja inevitável que o veículo permaneça muito tempo parado, aqui vão algumas dicas do técnico, que poderão minimizar alguns problemas:

A primeira dica diz respeito à bateria. Antes de desconectá-la, deve- se atentar ao rádio do veículo e verificar se o mesmo possui o código (cartão da senha do rádio). Caso contrário, se desconectarmos a bateria e ligarmos novamente, o rádio ficará bloqueado, tendo um custo relativamente elevado para ser codificado novamente. Desconecte, inicialmente, o pólo negativo e depois o positivo. Desta forma, estará poupando a vida útil da bateria.

Relacionado aos pneus, uma opção é colocar o veículo em cavaletes, sem que os pneus entrem em contato com o solo, com a finalidade de evitar deformações do mesmo. Esses cavaletes devem ser apropriados para cada tipo de veículo.

O óleo do motor e o combustível são componentes que poderão sofrer deterioração com o tempo e, por isso, deverão ser substituídos posteriormente.

O local de estacionamento deve ser observado, evitando contato direto com o ambiente (chuva, sol, poluição, umidade). Se for utilizar capas de proteção, fique atento , pois capas sem forração interna apropriada, associada à umidade e ação do sol , poderão provocar manchas no verniz do veículo. Procure, se possível, um ambiente sem insolação e sem umidade.

O fluido de freio também tem características higroscópicas (absorve umidade), necessitando a substituição do fluido assim que possível, principalmente se o veículo estiver parado por mais de um ano.

Outro ponto relacionado ao freio é a oxidação de discos e tambores do sistema, principalmente em regiões litorâneas (maresia). Experimente os freios com cautela e de forma suave para não ter surpresas de pinças e cilindro de rodas travados.

Até mesmo correias podem sofrer deterioração após muito tempo paradas, necessitando uma verificação especial.

Lembramos que estas são algumas dicas e que, dependendo das condições e modelos, poderemos ter mais agravantes no veículo. A recomendação é que, após um longo período parado, mesmo seguindo essas dicas, seja feito um check-up completo no veículo.

 

Fonte: Auto Show – www.autoshow.com.br

 

voltar